Os erros da primeira condução da Arca

A importância de Davi e do seu tabernáculo

O sofrimento de Davi desde o dia em foi ungido Rei através de Samuel, até o dia em que foi finalizado o seu reinado em Jerusalém, foi explorado de tal maneira pelo Espírito de Cristo, que, através dos salmos, vemos pontos fundamentais do conhecimento revelacional a respeito do Messias.

  1. O Aparecimento do tabernáculo de Davi – Saul, o rei que antecedeu a Davi não governou em perfeita harmonia com seu Deus. Saul governou sem profeta, sacerdote, arca, visão e sem Deus.
  2. O início da coleção – O desejo de Davi governar com a arca em Jerusalém. A arca em Jerusalém era uma utopia. Davi estava requerendo de Deus uma dura coisa. O preço do translado seria alto e havia mudanças fenomenais originadas pelo fato de mudar a arca para Jerusalém.

Uma boa leitura em 1 Sm. 6.9-12 e 1 Cr. 13.11-14 será fundamental para compreender o estabelecimento do tabernáculo de Davi.

  1. Arca vinha de uma trajetória profética.

a. Em Siló – Era tipo de Cristo na glória, com o ancião de dias ( Jo. 1.1; 17.4-5 ).

b. Em Ebenézer – Tipo de Cristo na cruz. A arca foi levada cativa pelos filisteus. O corpo de Cristo foi à sepultura e sua alma foi ao hades, à casa de Dagon, tipo de Satanás. Os discípulos o esperavam como Rei ( Mt. 21.1-10 ), mas ele veio para morrer ( Fl. 2.5-8 ).

c. O Asdode – Na terra dos filisteus, na casa do inimigo, vencendo-lhe e saindo de lá como vencedor, com ouro e prata. A arca não regressa vazia para Bete-Shemes, à pedra. Cristo vitorioso ressuscita e vai ao Pai levando cativo o cativeiro. Se levanta vitorioso e glorioso da sepultura (pedra). Saiu da casa de Dagon vitorioso. Havia pego na sua cabeça, conforme a profecia (Gn. 3.15). Mas o povo de Bete-Shemes não compreendeu a sua vitória. Não quiseram pagar o preço de sua presença. De lá o enviaram a Quiriate-Jearim, onde ficou em todo o tempo do governo de Saul, debaixo da guarda de Abinadabe.

Onde tudo começou

1 Crônicas 13.1-4. Este relato é o mesmo de 1 Samuel 5.1-12. A Bíblia diz que ele consultou dos chefes dos milhares. Isto quer dizer que ele preferiu consultar as pessoas que estavam na mesma trajetória de transformação com ele, homens que vinham sendo transformados em sua presença, que ao Senhor.

O tabernáculo de Davi revela todos os erros que um ministro não deve cometer para estabelecer mudanças. As mudanças são benefícios em uma instituição, mas eles requerem cuidados e uma base na palavra do Senhor. Para estabelecer mudanças relacionadas ao tabernáculo de Davi não basta querer, é necessário Aprender como fazê-lo, para não cair nos mesmos erros que um ministro comete.

  1. Não permita o mover do homem. No relato do primeiro translado, temos algumas lições terríveis. O propósito era bom, mas os meios eram maus.

A) Davi consultou somente os chefes do povo, mas não consultou o Senhor.

B) Davi queria levar a arca na euforia da carne.

C) Trazer a arca para Jerusalém era algo novo e também era um ato eterno. Tudo deveria ser de acordo com a palavra de Deus que não havia sido consultada. Quando se estabelece uma mudança em uma denominação ou congregação é bom tomar este tipo de cuidado. A arca havia saído de Siló e nunca mas havia regressado para lá. Aquele ato significaria muito para todos; Deus requeria uma reverência com a qual eles não estavam acostumados.

D) Antes do translado a arca ficou muitos dias na casa de Aminadabe, e seus filhos pensavam que tinham autoridade para proteger a arca e por isto foram julgados e condenados (1 Pe. 4.17) Ainda que uma pessoa tenha participação literalmente em alguma coisa na casa do Senhor, não tem o direito de sentir-se dono ou autoridade daquilo. Aiô e Uzá não haviam sido consagrados ainda que a arca estivesse em sua casa. Não tinham autorização para tocar nela nem para conduzi-la em lugar dos consagrados levitas. Isto requer unção e ser ungido.

Muitos grupos que por aí cantam, louvando o nome do Senhor sem cobertura. Nomeados por si mesmos ou em nomes de instituições de negócios, com fins evangelísticos: pastores de si mesmos. Isto não lhes dá o direito de guiar, tocar ou conduzir a arca. Os filhos de Abinadabe não tinham autorização para tocar na arca e nem para conduzi-la em lugar dos consagrados levitas.

Os principais erros de Davi em sua primeira condução:

  1. – Não consagrados em lugar de consagrados (Uzá e Aiô).
  2. – Bois em lugar dos levitas (2 Sm. 6.3).
  3. – Rodas em lugar de homens (2 Sm. 6.3).
  4. – Carros em lugar de varas (1 Cr. 15.13). Varas aqui significam ” ministérios”. Significa unção e sêlo de propriedade e de capacitação divina.
  5. – Força humana em lugar de confiança em Deus (2 Sm. 6.6). Cobertura em lugar de confiança em Deus.
  6. – Cobertura a bois que tropeçavam – Uzá e Aiô tentaram ajudar quando os bois tropeçaram. Eles talvez foram os responsáveis por escolher os bois. Quando nós escolhemos determinados tipos de ministérios para ajudar na casa do Senhor, aos quais temos que vigiá-los para ver se tropeçam, corremos o perigo de sermos partidos no meio pelo Senhor. Bois em lugar de levitas é uma diferença muito grande. Os bois mugem, os levitas cantam, bois tropeçam, levitas marcham e ministram. Bois escarnecem das varas e as tornam inúteis. Levitas usam varas e as tornam úteis. As varas que são os ministérios não podem ser menosprezados jamais.
    Os principais erros de Davi em sua primeira condução
  7. – Não consagrados em lugar de consagrados (Uzá e Aio).
  8. – Bois em lugar dos levitas ( 2 Sm. 6.3 ).
  9. – Rodas em lugar de homens ( 2 Sm . 6.3 ).
  10. – Carros em lugar de varas ( 1 Cr.15.13 ). Varas aqui significa “ministério “. Significa unção e selo de propriedade e de capacitação divina.
  11. – Força humana em lugar de confiança em Deus ( 2 Sm. 6.6). Cobertura em lugar de confiança em Deus.
  12. – Cobertura a bois que tropeçavam – Uzá e Aio tentaram ajudar quando os bois tropeçaram. Eles talvez foram os responsáveis por escolher os bois. Quando nós escolhemos determinados tipos de ministérios para ajudar na casa do Senhor, aos quais temos que vigiá-los para ver se tropeçam, corremos perigo de sermos partidos no meio pelo Senhor. Bois em lugar de levitas é uma diferença muito grande. Os bois mugem, os levitas cantam, bois tropeçam, levitas marcham e ministram. Bois escarnecem das varas e as tornam inúteis. Levitas usam varas e as tornam úteis. As varas que são os ministérios não podem ser menosprezadas jamais.